Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Presa quadrilha responsável por explodir caixas eletrônicos no DF

Publicado

em

Da Redação
[email protected]


Uma operação da Polícia Civil, por meio da Coordenação de Repressão dos Crimes Patrimoniais (Corpatri), prendeu cinco pessoas envolvidas em ataques a terminais de autoatendimento bancário ocorridos no Distrito Federal.

Leia mais: Explosão de caixas eletrônicos desafiam vigilância no centro do DF

Segundo a PCDF, a Corpatri, que assumiu as investigações desde o início de 2019, apurou a participação dos suspeitos nas explosões ocorridas no anexo do Palácio do Buriti, em um clube recreativo, em três terminais localizados em um shopping do DF, no centro comercial Gilberto Salomão e no hotel Royal Tulip. Os ataques ocorreram nos dois últimos anos.

Em 28 de março deste ano, o bando, que estava armado, invadiu a garagem de um hotel situado no SHTN e roubou cerca de R$ 400 mil. Os policiais localizaram um dos envolvidos em Santa Maria. Os agentes encontraram no local fotos da repartição dinheiro proveniente do assalto.

Os policiais também prenderam em Valparaíso/GO um homem responsável por dirigir o automóvel que transportava os autores após a explosão. No Jardim Ingá/GO, outros dois suspeitos que guardaram e prepararam os veículos antes das explosões também foram presos. Um participante do grupo, responsável por vazar informações sigilosas para os criminosos, foi preso temporariamente.

Foragidos

Foram identificados mais dois autores que portavam as armas de fogo e renderam os funcionários no ataque ao hotel. Eles ainda estão foragidos.

O delegado André Luis da Costa e Leite, titular da Corpatri, afirmou que a Polícia Civil atuou de forma rápida após a ocorrência do crime. “Foi um trabalho complexo, que culminou na elucidação do crime”, salientou o delegado.

O diretor-geral da PCDF, Robson Cândido, ressaltou a realização do trabalho conjunto da Polícia Civil e reafirmou o compromisso da instituição na investigação e combate aos crimes. “Esperamos finalizar o trabalho com a prisão de todos os envolvidos. A PCDF está atuando com força no combate às organizações criminosas”, concluiu.

A PCDF procura pelos foragidos e pede ajuda caso a população saiba do paradeiro dos suspeitos. O contato pode ser feito pelo telefone 197;e-mail [email protected]; WhatsApp (61) 98626-1197 ou pelo portal denúncia online, no site:http://www.pcdf.df.gov.br/servicos/197.


Divulgação/PCDF

Divulgação/PCDF

Testando apresentação dos colunistas

Mais Lidas