Siga o Jornal de Brasília

Política & Poder

Ibaneis não vai mais a debates da reta final do segundo turno

Publicado

em

Francisco Dutra
[email protected]

O candidato Ibaneis Rocha (MDB) não vai mais aos debates marcados na reta final da eleição para o Governo do Distrito Federal. Segundo o emedebista, o rival de urnas e candidato à reeleição governador Rodrigo Rollemberg (PSB) partiu para a baixaria no segundo turno, sem discutir propostas para Brasília. Neste cenário, o novato de urnas decidiu cancelar a participação nos debates.

“Não vou a nenhum, nenhum. Em função da ausência de debate. Ele simplesmente escolheu ofender a população do DF com as mentiras dele. E a população não quer isso. Se ele fizer um compromisso assinado, nem sei se confio na assinatura dele, mas se ele fizer o compromisso para debater propostas e os problemas do DF, estou dentro. Agora para ficar mentindo? Ele está mentindo”, comentou.

Ibaneis argumentou que não tem a menor dúvida de que a Justiça Eleitoral irá rachar as denúncias de suposta compra de voto apresentadas pela campanha de Rollemberg é de outros ex-candidatos ao Palácio do Buriti. Contudo, o ex-presidente regional da Ordem dos Advogados do Brasil afirmou que o eleitor não está mais disposto a ouvir baixarias do Chefe do Executivo.

Para o emedebista, a estratégia não levará a uma queda nas intenções de voto, porque sua base eleitoral está consolidada. “É o eleitor não quer ficar ouvindo baixaria. E ele quem está dizendo. Eu fiz pesquisas no final de semana é simplesmente quem está pedindo isso é o eleitor. Ele não quer mais baixaria no debate. Isso não é por mim não. Eu sou advogado e tenho sangue frio. E sei responder a tudo, tudo. Agora, o eleitor está pedindo para parar”, argumentou.

Nas palavras do emedebistas, o governador deveria parar com a baixaria e com o apoio a fake news, as notícias falsas. “Que ele está patrocinando através dos seus funcionários comissionados. Eu já tenho várias decisões e denúncias. E é ele quem está patrocinando. Ele tem que parar isso em favor de Brasília e em favor da história dele próprio. Ele devia ter um pouco de pena das famílias que estão do outro lado”, afirmou.

Você pode gostar
Publicidade