Siga o Jornal de Brasília

Política & Poder

Instituto Exata: Ibaneis atinge 77% dos votos válidos; Rollemberg tem 23%

Publicado

em

Francisco Dutra
[email protected]

Ibaneis Rocha (MDB) conta com as intenções de votos válidos de sete a cada dez eleitores brasilienses. Pesquisa do Instituto Exata de Opinião Pública (Exata OP) mostra o emedebista com 77% das intenções de apoio nas urnas. O concorrente e postulante à reeleição Rodrigo Rollemberg (PSB) tem 23%. Na disputa pelo Governo do Distrito Federal, o candidato estreante no jogo político desponta na liderança com o apoio expressivo da população mais pobre.

A margem de erro do estudo é de 3 pontos percentuais, para mais ou menos. No mapeamento do voto estimulado, Ibaneis tem 67% das intenções de voto. Rollemberg soma 20%. Eleitores na dúvida entre o voto branco ou nulo representam 8%. Indecisos são 5% do total.

O emedebista lidera a disputa nos votos de homens e mulheres, bem como no apoio de católicos e evangélicos. Com relação ao grau de escolaridade, o candidato do MDB ganha em todos graus de instrução.

Ibaneis lidera inclusive em regiões abraçadas pelo governo com obras. Por exemplo, no Pôr do Sol e no Sol Nascente, em Ceilândia, o emedebista tem, respectivamente, 42,9% e 78,6% da intenção de voto. Enquanto, o governador aparece com 22,9% e 7,1%. Em Vicente Pires, o emedebista tem a intenção de apoio nas urnas de 70% e o governador soma 20%. No bairro do Porto Rico, em Santa Maria, Ibaneis aparece com 81,3%, enquanto Rollemberg conta com 12,5%.

Segundo a pesquisa, 94,2% dos potenciais eleitores dos emedebista estão com os votos definidos. No caso de Rollemberg, 86% estão convictos. “Ibaneis consegue personificar a mudança. A candidatura dele absorveu a imagem da renovação política. Este cenário só pode ser modificado se surgir algo muito grave contra o candidato do MDB, algo diretamente contra ele. Ibaneis ganha em todos os segmentos. E o grande eleitor dele é a população das classes C, D e E”, argumenta Marcus Caldas, diretor do Exata OP.

Na análise de Caldas, a campanha do governador adotou uma tática errada na batalha no segundo turno. “Rollemberg tem uma rejeição muito forte. E não trabalhou para diminuí-la. Preferiu uma campanha agressiva contra o Ibaneis. Está procurando a aumentar a rejeição do rival ou invés de reduzir a rejeição dele próprio. A estratégia foi equivocada. O que inviabiliza a campanha de Rollemberg é a alta rejeição dele e não a baixa rejeição dos demais candidatos”, explica.

Neste contexto, para Caldas, Rollemberg é o adversário ideal para Ibaneis. Se o antagonista de urnas fosse uma pessoa com baixa rejeição o segundo turno seria mais disputado. O emedebista correria o risco de não disparar na liderança. Este cenário poderia ocorrer, por exemplo, se os concorrentes fossem Rogério Rosso (PSD) ou Paulo Chagas (PRP), cujas votações no primeiro turno ficaram em terceiro e quatro lugares, respectivamente.

Bolsonaro lidera na capital

O presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) tem 71% das intenções de votos válidos no DF. Segundo pesquisa do Exata OP, entre os brasilienses o militar da reserva está 42 pontos percentuais à frente do rival de urnas Fernando Haddad (PT). O candidato da esquerda progressista aparece 29%.

Na conta do voto estimulado, Bolsonaro soma 60% das intenções de voto. Haddad tem 25%. Nulos e Brancos são 9%, enquanto indecisos representam 6%.

“O números mostram uma margem confortável para Bolsonaro. Ele tem muita gordura para queimar. O ataques de Haddad aumentam um pouco a rejeição. Mas Bolsonaro é realmente um fenômeno. Conseguiu manter a liderança nas pesquisas mesmo sem ir aos debates”, analisa Caldas.

Para o diretor do Exata OP, a rejeição de grande parte dos brasileiros ao PT é o principal combustível para Bolsonaro nas urnas. “É a rejeição ao PT, não é nem a rejeição a Haddad”, frisa.

De volta ao GDF

Sem jogar a toalha na corrida pelo Palácio do Buriti, Rollemberg visitou a Feira do Guará na manhã de domingo (21). Prometeu a criação do programa Aluguel Legal para 10 mil famílias. Reforçou o compromisso de dobrar o DF Sem Miséria para benefícios mensais de R$ 440. “Vamos garantir 25 mil vagas em creches”, emendou.

Ibaneis Rocha (MDB) foi a uma missa em Taguatinga pela manhã. Ao longo do dia priorizou reuniões internas. Além da reta final da campanha, o emedebista trabalha em um governo de transição.


Saiba Mais

A pesquisa Exata OP partiu dos depoimentos de 1.300 pessoas, em todas as regiões do DF, entre 18 e 21 de outubro. O intervalo de confiança é de 95%. Ou seja, a chance dos números refletirem a realidade do momento é de 95%. O estudo está registrado no Tribunal Regional Eleitoral do DF com o número 08688/2018.

No Guará, Rollemberg contestou os resultados divulgados pelos institutos de pesquisas nas últimas semanas. Segundo o governador, pesquisas internas da campanha apontam para uma virada. O chefe do Executivo estaria rapidamente se aproximando do antagonista nos índices de intenção de voto.

Você pode gostar
Publicidade